SÓ GENTE FIXE:

pedacinhos de amor

25 de julho de 2010

Um dia gostava que percebesses o quanto as tua palavras me magoam, o que as tuas palavras provocam em mim, rasgam o meu coração ao meio, as feridas abrem-se de uma maneira que nem em 100 anos conseguiria explicar. Até que eu sou obrigada a lamber as minhas feridas, erguer a cabeça e voltar a esquecer outra vez o que se passou. Já perdi a conta às quantas vezes que isto aconteceu, às quantas vezes me sinto burra por invocar as tuas palavras, por invocar palavras ditas com tanta crueldade e de uma forma tão fria que não conhecia da tua parte. Queria-te dizer tanto mas não consigo, queria pedir que voltasses ao teu lugar, ao sítio que era teu e que nunca será ocupado por mais ninguém, porque só tu, com essa tua maneira única de ser consegues ocupar o que falta em mim, no meu coração. Não peço mais amor, não peço mais nada, mas peço que voltemos a ser o que fomos, que voltes a fazer parte do meu dia-a-dia, que me recebas com um sorriso rasgado, e te lembres de mim à noite. Quero isso e muito mais, mas acima de tudo apenas te quero a ti a meu lado, apenas isso a caminhar ao meu lado, como meu amigo!

2 comentários:

joana disse...

Eu já nem penso nesta altura x)

Olha, se queres que isso aconteça o melhor é dedicares-te a outras cisas e parares de pensar nele. Ignorar durante os tempos que as coisas acabam por voltar ao que eram. Eu também já passei por isso, só quando nos afastámos de vez é que, mais tarde, conseguimos recuperar a amizade. E não se esquece, não totalmente

Cláudio David disse...

ja estas convidada ;)